Home > Bruno Latour, network > O Poder da In-Definição de Grupo Social em Bruno Latour

O Poder da In-Definição de Grupo Social em Bruno Latour

LATOUR, Bruno (2005). Reassembling the social: an introduction to actor-network-theory. New York: Oxford.

Reunindo os conceitos sobre fatos socias e a constituição de grupos sociais, Bruno Latour abre espaço para o desarranjo social, a desorganização, o caos social e a auto-organização emergente em uma introdução à teoria do ator em rede.

“In the alternative view, ‘social’ is not some glue that could fix everything including what the other flues cannot fix; it is what is glued together by many other type of connectors.(…) it’s perfectly acceptable to designate by the same word a trail of associations between heterogeneous elements.( LATOUR, 2005, p. 5)

A sociologia seria um estudo de associações e dos tipos de conexões e pelo fato de englobar elementos heterogêneos, fonte de inovações, estudo das inovações, contradições, um estudo de um movimento.(6)

Na definição de grupo social através daqueles que falam sobre a existencia do grupo, dizendo quem são eles, o que eles devem ser, o que eles têm sido. “Groups are not silent things, but rather the provisional product of a constant uproar made by the millions of contradictory voices about what is a group and who pertains to what” (LATOUR, 2005, p. 31)

O tipo de grupo social vai se redefinindo em suas tarefas, por isso é importante não categorizar o contexto social ou o grupo social. os atores é que vão mostrando ações e caminhos.(32)

A definição do grupo se dá pelos limites e contradições que estabelece quanto ao que não pertence ao grupo. Grupos sociais são movimentos que tendem a desaparecer e se formar novamente. Não são fixos. (32) Definição de grupo social performativa, que vem pelo trabalho, por isso é instável e utiliza ferramentas. (34-35)

Ação social: “Action should remain a surprise, a mediation, an event. Baseado numa incerteza (45)

” An ‘actor’ in the hyphenated expression actor-network is not the source of an action but the moving target of a vast array of entities swarming toward it.(…) To use the word ‘actor’ means that it’s never clear who and what is acting when we act since an actor on stage is never alone in acting” (LATOUR, 2005, p. 46).

“By definition, action is dislocated. Action is borrowed, distribuited, suggested, influenced, dominated, betrayed, translated.” (46)

A ação como Agenciamentos, ação de atores-mediadores-concatenados e o comportamento coletivo com sua origem na influência dessa rede de relacionamentos.(59)

Ação dislocal – deslocamento em (François Cooren, 2001) The Organizing Property of Communication

  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: