References

Artigos/Papers:

BARBA, Cecília Cervantes. (2002) El grupo de discussión: de la mercadotecnia al estudio de la cultura y la comunicación. VI Congresso ALAIC: Bolívia.

BARBEIRO-MÁRTIN. (2000) Desafios culturais da comunicação à educação. In:Comunicação & Educação. São Paulo. N. 18. p. 51 a 61, mai/ago. 2000.

BEIGUELMAN, Giselle. (2004) Admirável mundo cíbrido. In: BRASIL, André et. al (orgs.) (2004) Cultura em Fluxo (novas mediações em rede). Belo Horizonte: Ed. PUCMinas, 2004, pp. 264-282. Disponível em: < www.pucsp.br/~gb/texts/cibridismo.pdf > Acesso em: 27 de ago. 2007.

BRAGA, Adriana. (2007) Usos e consumo de meios digitais entre participantes de weblogs: uma proposta metodológica. In: Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. XVI Encontro da Compós, Curitiba, PR, 2007.

BARBROOK, Richard. (2005) The high-tech gift economy. In: Internet Economics. Dec. n. 3 p.1-16. Disponível em:< http://firstmonday.org/issues/> Acesso em: 22 fev. 2008.

CASTELLS, Manuel. Communication power. New York: Oxford University Press, 2009. 571p. 

______. (2007) Communication, power and counter-power in network society. In: International journal of communication. v. 1, p. 238-266.

COSTA, Rogério. (2005) Por um novo conceito de comunidade: redes sociais, comunidades pessoais, inteligência coletiva. In: Interface – comunicação, saúde, educação, v. 9, n. 17, p. 235-48, mar/ago 2005.

FRAGOSO, Suely. (2001) De interações e interatividade. In: Compós, X Encontro. Santos: Universitária Leopoldina, 2001.

GALLOWAY, Alexander R. (2005) Global networks and effects on culture. The Annals of The American Academy, January.

GRANOVETTER, Mark. (1978). Threshold models of collective behavior. In: The american journal of sociology. v. 83, n. 6, may. p. 1420-1443.

______________. (2001)Theoretical Agenda of Economic Sociology. In: Economic Sociology at the Millennium. New York: Sage Foundation.

OROZCO GÓMES, Guillermo. (1996) La investigación en comunicación desde La perspectiva qualitativa. La Plata: Universidade Nacional de La Plata.

_____________________. (2006) Os meios de comunicação de massa na era da internet. In: Comunicação & Educação. Ano XI. n.3. set/dez.

ROCHA, Paula Jung; MONTARDO, Sandra Portella. (2005) Netnografia: incursões metodológicas na cibercultura. In: Revista da Associação nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação – Compós, dez. p. 1-22.

SCHWARTZMAN, Simon. (1994) Os Dinossauros de Roraima (ou a sociologia da ciência e da técnica de Bruno Latour) in Revista Novos Estudos CEBRAP. São Paulo, n° 39, p. 172-179, jul. 1994.

SILVEIRA, Fabrício. (2006) Experiências etnográficas no campo da comunicação. In: Uni revista. v. 1, n.1, p. 23-31, jan.

SOARES, Ismar de Oliveira. (2007) A mediação tecnológica nos espaços educativos: uma perspectiva educomunicativa. In: Comunicação & Educação. p. 31-40. Ano. XII, n. 1. jan/abr.

VAZ, Paulo Roberto Gibaldi. (1999) Agentes na Rede. In: 8° Encontro Anual da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação em comunicação. 1999. Belo Horizonte. Anais do 8° Encontro Anual da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Belo Horizonte: UFMG/Minas Gerais, 1999. v.1. Disponível em:<http://www.eco.ufrj.br/paulovaz/textos/agente.pdf> Acesso em: 28 de jul. 2007.

WELLMAN, Barry. (2001) Physical place and cyberplace: the rise of personalized networking. In: International Journal of Urban and Regional Research. Oxford: Blackwell. v. 25.2 Jun.

Livros e Capítulos de Livros:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. (2005) Informação e documentação – referências- apresentação: NBR6023: 2005. Rio de Janeiro: ABNT.

ANTOUN, Henrique. (2004). Democracia, multidão e guerra no ciberespaço. In: PARENTE, André (Org. 204). Tramas da Rede. Porto Alegre: Editora Sulina.

BACCEGA, Maria Aparecida. O gestor e o campo da comunicação. In: _______(Org.) (2002) Gestão de processos comunicacionais. São Paulo: Editora Atlas. Cap. 1 pg. 17 a 27.

BARABÁSI, Albert-László. (2003). Linked: how everything is connected to everything else and what it means for business, science, and everyday life. New York: Plume.

BARBROOK, Richard; CAMERON, Andy. (2001) Californian ideology. In: LUDLOW, Peter (Ed.) (2001) Crypto anarchy, cyberstates, and pirate utopias. Cambridge, MA: MIT Press.

BENKLER, Yochai. (2006) The wealth of the networks: how social production transforms markets and freedom. New Haven: Yale University Press.

BEY, Hakin (2001) The temporary autonomous zone. In: LUDLOW, Peter (Ed.) (2001) Crypto anarchy, cyberstates, and pirate utopias. Cambridge, MA: MIT Press.

BOURDIEU, Pierre. (1980) O capital social – notas provisórias. In: NOGUEIRA, M.A. e A. Catani (Orgs.) (1998) Pierre Bourdieu: escritos de educação. Capítulo III. Petrópolis, RJ: Vozes.

______________. (1983) O campo científico. In: Bourdieu. São Paulo: Ática. (Coleção Grandes Cientistas Sociais).

BOURDIEU, Pierre; CHAMBOREDON, Jean-Claude; PASSERON, Jean-Claude. (2004) Ofício de Sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Tradução: Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

CANETTI, Elias. (1995) Massa e poder. Tradução: Sérgio Tellaroli. São Paulo: Cia das Letras.

CASTELLS, Manuel. (2006) A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. 9ª ed. São Paulo: Paz e Terra. v. 1.

CHANLAT, Jean-François (Coord.) (1992)O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. Tradução: Arakcy Martins Rodrigues, Luciano dos Santos Gaino, Mauro Tapias Gomes, Ofélia de Lanna Sete Tôrres. São Paulo: Atlas. Vol. 1.

CITELLI, Adilson. (2004). Comunicação e educação: a linguagem em movimento. 3ª ed. São Paulo: Editora SENAC.

COSTA, Rogério da.(2003). A Cultura Digital. 2ª ed. São Paulo: Publifolha. 89 p. Série – Coleção Folha Explica.

_____________. (2004). Inteligência afluente e cibercultura. In: LEÃO, Lúcia (Org.) (2004) Derivas: cartografias do ciberespaço. São Paulo: Annablume; SENAC. Pg. 61 a 76.

DELEUZE, Guilles. (1968/2000). Diferença e repetição. Tradução: Luiz Orlandi e Roberto Machado. Lisboa: Relógio D’Água.

______________. (1978). Spinoza. In: Les cours de Gilles Deleuze. Disponível em< http://www.webdeleuze.com > Acesso em: 20 mar. 2008.

DELEUZE, Guilles; GUATTARI, Félix. (1997) Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia. Tradução: Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34. vol 5.

____________________________. (2004a) Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34. vol. 1.

____________________________.(2004b) Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia. Tradução: Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo: Editora 34. vol. 2

DIMANTAS, Hernani. (2003) Marketing hacker: a revolução dos mercados. Rio de Janeiro: Garamond.

________________.(2004) Linkania – a multidão hiperconectada. In: LEÃO, Lúcia (Org.) (2004) Derivas: cartografia do ciberespaço. São Paulo: Annablume; SENAC. pg. 77 a 87.

FIORIN, José Luiz. (2004) O ethos do enunciador. In: CORTINA, Arnaldo. (Org.); MARCHEZAN, Renata Coelho (Org.) (2004) Razões e sensibilidades: a semiótica em foco. Araraquara: Laboratório Editorial FCL/UNESP, v.1. p. 117 a 140.

FLEURY, Maria Tereza Leme; OLIVEIRA JR. Moacir de Miranda. (2001) Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências.

FOUCAULT, Michel. (1998). A ordem do discurso. Tradução: Graciano Barbachan. São Paulo: Loyola.

_____________. (2001). Microfísica do Poder. 23ª ed. Tradução: Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal.

FRANÇA, Ana Cristina Limongi. (2006) Comportamento organizacional: conceitos e práticas. São Paulo: Saraiva. cap. 7 p. 55-129.

FREITAS, Sidinéia Gomes. (2006). Liderança e poder: um enfoque comunicacional. In: MARCHIORI, Marlene (Org.) (2006) Faces da cultura e comunicação organizacional. São Caetano do Sul, SP: Difusão Editora. cap. 6 p. 135-164.

GEETZ, Clifford. (1978) A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar.

GIDDENS, Antony. (1998). Política, sociologia e teoria social: encontros com o pensamento social clássico e contemporâneo. Tradução: Cibele Saliba Rizek. São Paulo: Fundação da Editora UNESP.


GOFFMAN, Erving. (1985) As representações do eu na vida cotidiana. Tradução: Maria Célia Santos Raposo. 11ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

GRANOVETTER, Mark. (1995). Getting a job: a study of contacts and careers. 2ª ed. Chicago: The University of Chicago Press.

HINE, Christine (2005). Virtual Methods and the Sociology of Cyber-Social-Scientific Knowledge. In: HINE, Christine (Org.)(2005)Virtual Methods. Issues in Social Research on the Internet. Oxford: Berg.

JOHNSON, Steven. (2001) Cultura de Interface. Rio de Janeiro: Zahar.

______________. (2004) Emergence. New York: Scribner.

LATOUR, Bruno. (1987) How to follow scientists and engineers through society. Cambridge, MA: Harvard University Press.

_____________. (2005) Jamais fomos modernos. Tradução: Carlos Irineu da Costa. 3ª ed. São Paulo: Editora 34.

_____________. (2005) Reassembling the social: na introduction to actor-network-theory. New York: Oxford University Press.

LEMOS, André. (2004) Apropriação, desvio e despesa na cibercultura. In: MARTINS, Francisco Menezes; SILVA, Juremir Machado da Silva. (Orgs.) (2004) A genealogia do virtual: comunicação, cultura e tecnologias do imaginário. Porto Alegre: Sulina.

LESSIG, Laurence. (2006) Code v.2.0 New York: Basic Books. NY. Disponível em: <http://codev2.cc/download+remix/> Acesso em: 28 de mai. 2007.

LEVINE, Rick et. AL. (2001) The clue train manifesto: the end of business as usual. New York: Basic Books.

LÉVY, Pierre. (2001) Cibercultura. Tradução: Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34.

__________.(2003) A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. Tradução: Luiz Paulo Rouanet. 4ª ed. São Paulo: Loyola.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de. (2000) A institucionalização dos estudos de comunicação no Brasil. In: LOPES, Maria Immacolata Vassallo de; BUONANNO, Milly. (Org.) (2000) Comunicação no plural: estudos de comunicação no Brasil e na Itália. São Paulo: Educ/Intercom.

________________________________. (2005) Pesquisa em comunicação. 8ª ed. São Paulo: Edições Loyola.

NEGRI, Toni. (2004) Infinitude da comunicação/finitude do desejo. In: PARENTE, André (Org.) (2004). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. São Paulo: Editora 34. (Coleção TRANS).

MATUS, Carlos. (2005) A teoria do jogo social. Tradução: Luís Felipe Rodriguez Del Riego. São Paulo: FUNDAP.

MICHELAT, Guy; SIMON, Michel (1981) Classe, Religion et comportament politique. In: THOILLENT, Michel J. M. (1981). Crítica metodológica, investigação social & enquete operária. 2ª ed. São Paulo: Polis. v. 6 (Coleção Teoria e História).

PARENTE, André. (Org.) (2004). Tramas da rede: dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Editora Sulina.

PASSARELLI, Brasilina. (2007). Interfaces digitais na educação: @lucinações consentidas. São Paulo: Editora da Escola do Futuro da USP; SENAC. (Conexões Científicas: teses e dissertações).

RHEINGOLD, Howard. (1993) The virtual community: homesteading on the electronic frontier. Massachussets: Addison-Wesley Pub. Disponível em: <http://www.rheingold.com/vc/book/intro.html> Acesso em: 28 de jul. 2007.

________________. (2002) Smart Mobs: the next social revolution. New York: Perseus Books.

SANTAELLA, Lúcia. (2004) Sujeito, subjetividade e identidade no ciberespaço. In: LEÃO, Lúcia. (Org.) (2004). Derivas: cartografias do ciberespaço. São Paulo: Annablume; Senac. p. 45-54.

SHIRKY, Clay. (2008) Here comes everybody: the power of organizing without organizations. New York: The Penguin Press.

SILVER, David. (2004) Internet/cyberculture/digital culture/new media/fill-in-the-blank. In: New Media & Society. London: Sage Publications, vol. (6)1: 55-64. Disponível em: <http://online.sagepub.com/cgi/searchresults> Acesso em: 15 de mai. 2008.

SODRÉ, Muniz. (2006) Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis, RJ: Vozes.

SOLOVE, Daniel J. (2007) The future of reputation: gossip, rumor, and privacy on the internet. New Haven: Yale University Press.

SWEDBERG, Richard.(1998) Max Weber an the idea of economic sociology. Princeton, NJ: Princeton University Press.

TARDE, Gabriel. (1890/1979) Le lois de l’imitation. 3ª Ed. Avant-Propos: Paris.

____________. (1893/2003) Monadologia e sociologia. Tradução: Tiago Seixas Themudo. Petrópolis, RJ: Vozes.

____________. (1895/2005) A opinião e as massas. Tradução: Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes.

THIOLLENT, Michel J. M. (1981) Crítica metodológica, investigação social & enquete operária. 2ª ed. São Paulo: Polis. v. 6 (Coleção Teoria e História).

__________________. ( 2007) Metodologia da pesquisa-ação. 15ª ed. São Paulo: Editora Cortez. (Coleção temas básicos de pesquisa-ação).

TRINDADE, Hélgio. (1987) Tentativa de reconstrução empírica de um movimento radical. In: NUNES, Edson de Oliveira. (org.) (1987) A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso, e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar.

TURKLE, Sherry. (1997) Vida no ecrã: a identidade na era da Internet. Tradução: Paulo Faria. Lisboa: Editora Relógio d’Água. (Coleção A Sociedade Digital).

VARGAS, Eduardo Viana. (2000) Antes tarde do que nunca: Gabriel Tarde e a emergência das ciências sociais. Rio de Janeiro: Contra Capa.

WATTS, Duncan. Tudo é obvio: desde que você saiba a  resposta – como o senso comum nos engana. Tradução: Letícia Della Giacoma de França. São Paulo: Paz e Terra, 2011. 327 p.

WEINBERGER, David. (2002) Small pieces loosely joined: a unified theory of the web.Cambridge, MA: Perseus Books.

_________________.(2007) Everything is miscellaneous: the power of the new digital disorder. New York: Time Books.

Dissertações/Teses:

BESKOW, Cristina Álvares (2008) Comunicação, educação e inclusão digital: quem ‘tá ligado’ na escola estadual paulista? Uma análise da interatividade no projeto TôLigado: o jornal interativo da sua escola. Universidade de São Paulo: dissertação de mestrado em Comunicação Social. Orientadora: Prof. Dra. Brasilina Passarelli. Não publicada.

BLISKA, Anita Vera. (2007) A construção do capital social em comunidades virtuais de aprendizagem e prática. Universidade de São Paulo: dissertação de mestrado em Comunicação Social. Orientadora: Prof. Dra. Brasilina Passarelli. Não publicada.

DIMANTAS, Hernani. (2006) Linkania – a sociedade da colaboração. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: dissertação de mestrado na em Comunicação e Semiótica. Orientador: Prof. Dr. Rogério da Costa. Não publicada.

GUZZI, Adriana Araújo. (2006) Participação pública, comunicação e inclusão digital. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: dissertação de mestrado em Comunicação e Semiótica. Orientador: Prof. Dr. Rogério da Costa. Não publicada.

ORLANDO, Ricardo. (2006) Dispositivo da Interface: um estudo sobre tecnologias de comunicação. Universidade de São Paulo: tese de doutorado em Comunicação Social. Não publicada.

Sites:

AUTOUN, Henrique. (2002). Disponível em <http://www.eco.ufrj.br/antoun/textos/> Acesso em: 24 de set. 2007.

COSTA, Maria Cristina Castilho. Educomunicador, é preciso Disponível em: http://www.usp.br/nce/aeducomunicacao/saibamais/textos Acesso em: 26 de mai. 2008.

LYOTARD, Jean-François (1979). Disponível em: http://www.marxists.org Acesso em: 22 de fev. 2008.

SOARES, Ismar de Oliveira. Ecossistemas comunicativos. Disponível em <http://www.usp.br/nce/wcp/arq/textos/28.pdf> Acesso em 26 de mai. 2008.

_________________________. Mas, afinal, o que é Educomunicação. Disponível em <http://www.usp.br/nce/wcp/arq/textos/27.pdf> Acesso em 26 de mai. 2008.

  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: